Domingo, dia 17, eu fui pra Seattle (EUA). Fui fazer compras no outlet conhecido de lá. A própria escola faz excursão, então eu fui junto.

Saímos de Vancouver as 8h30 e chegamos na fronteira dos EUA as 9h40. Por ser excursão, todos tiveram que descer do ônibus e passar pela “entrevista” deles. Quando foi a minha vez, algumas coisas aconteceram. Primeiro o questionamento de quanto dinheiro eu estava levando, depois a máquina do policial que não estava lendo meu passaporte. Durante esses 5 minutos que eu fiquei esperando, o cachorro farejador ficou passando pelas filas pra verificar se tínhamos algo ilegal nas mochilas. E, quando ele veio na minha direção, ele sentou. Isso significa que tem algo estranho, mas o policial não me perguntou nada.

Como o policial não conseguiu resolver o problema com a máquina eu tive que trocar de fila e passar pelas mesmas perguntas novamente. E mais uma vez o cachorro veio pro meu lado e sentou. Dai o policial perguntou que tipo de comida eu tinha porque algumas coisas são proibidas de entrar como carne e frutas. Eu respondi que tinha apenas uma cupcake de chocolate. Ele riu e me deixou passar.

Fui pra fila do raio-x da mochila e novamente fui parada pra saber que comida eu tinha. Eu estava quase falando que se o cachorro quisesse meu cupcake eu dava, mas era só não me causa problemas por causa disso hahahaha

Pronto, depois disso tudo, continuamos a viagem. Foi mais 1h30 até chegar no outlet. Chegando lá, o grupo foi dividido porque alguns iam só pro outlet e outros iam só pra cidade de Seattle. A distância é de 1 hora até o centro. Eu fiquei no outlet pra fazer compras.

Começamos a aventura 11h40. Eu e uma japonesa andamos pra fazer a “pesquisa de preço”. Eu fui nas lojas que queria e anotei o que me interessava e paramos para almoçar umas 14h. Depois do almoço, nos separamos e cada uma foi fazer as suas comprar e marcamos de nos encontrar 17h30 novamente.

20130317_164433

20130317_164443

20130317_164848

20130317_164852

20130317_164859

20130317_171948

20130317_173824

20130317_173838

20130317_173907

Andei bastante, comprei muuuuuito, mas não deu tempo de ir em todas as lojas e nem de comprar tudo o que eu queria. Mas, eu fiquei bem feliz com o que eu consegui. As coisas são bem baratas mesmo! Sim, certas coisas continuam caras pra mim porque lã é só loja de marca, mas grande parte das roupas tinham ótimos preços.

20130317_174005

20130317_174104

20130317_174109

20130317_174134

20130317_174302

20130317_174434

20130317_174444

20130317_174457

20130317_174613

20130317_174748

20130317_174813

20130317_174818

20130317_174850

20130317_174926

20130317_174950

20130317_174955

20130317_175123

As 17h30 eu fui encontrar com a japonesa. Comemos um lanche e corremos pro ponto de encontro que era as 18h15. Pensávamos que estávamos perto do fim né? Não, foi ai que começou a aventura.

As 18h15 todos voltaram pro ônibus, menos um garoto. Esperamos por ele uns 15 minutos e nada. Até que alguns alunos que o conheciam desceram do ônibus e foram procurar pelo o outlet. Entraram em todas as lojas, banheiros e nada do garoto. A guia começou a ficar preocupada e até chorou porque o garoto era um japonês de apenas 15 anos. Por ser menor de idade, não podíamos ir embora sem ele. Maldito japonês!

Chamaram o segurança do outlet e nada. Chamaram a policia americana e nada também. Nesse tempo todo ficamos com frio porque estava ficando noite e com fome porque o restaurante do outlet tinha fechado.

As 20h20 a guia recebeu uma ligação de uma mulher falando que encontrou o garoto no Centro de Seattle perdido. O infeliz pegou um ônibus sozinho e decidiu encontrar o grupo no Centro, mas ele só esqueceu que não sabia falar inglês.

Só sei que esperamos o japonês por 2 horas e fomos embora sem ele. Todos os alunos, inclusive eu, estavam preocupados com o horário porque em Vancouver o metrô e o ônibus para de passar cedo. Rezamos pra dar certo e fomos embora.

Chegamos na fronteira do Canadá e passamos pelo mesmo processo, mas bem mais rápido porque não tivemos que sair do ônibus, a policial entrou e verificou tudo. No fim nem tivemos tempo de parar no Duty Free.

Já em Vancouver, todos correram pra pegar o metrô e ônibus. Alguns perderam e tiveram que dormir na casa de alguém. Eu consegui correr e cheguei em casa 23h30. Isso porque no dia seguinte tínhamos aula de manhã.

Conclusão:

1) Se aquele maldito japonês voltasse com a gente no ônibus, ele ia apanhar.

2) Como a escola aceita um menor de idade que não sabe falar nada de inglês em uma excursão pra outro país?