Hoje, dia 27 de abril, é o meu último dia em Vancouver. São 6h30 da manhã e daqui há pouco mais de 4 horas estarei partindo em direção a Montreal.

Foram três meses aqui em Vancouver, aparentemente pouco tempo (em certos casos sim), mas foi um grande período de aprendizado educacional, profissional, cultural e principalmente pessoal. Em três meses muitas coisas podem acontecer. Bom na verdade em 1 dia muitas coisas podem acontecer.

Tive momentos de arrependimentos, agradecimentos, alegria, saudade e muitas despedidas. Viver em outro país, não tão diferente do seu, já um grande desafio. A primeira barreira é o clima seguido do idioma, mas aos poucos tudo se ajeita e flui como um quebra-cabeça. Você faz amigos, os CHAMAM de amigos por serem os seus únicos “porto seguro” da solidão, mas no fundo você sabe que num curto período o ciclo muda e esse seu amigo volta ao “planeta terra”. E aí, como lidar? Levanta e corre atrás de novas amizades, senão seu melhor amigo será apenas a solidão.

Não fiz muitos amigos aqui, mas as pessoas com que eu tive a oportunidade de conhecer foram essenciais para aumentar a minha visão cultural. É muito difícil conviver com essas diferenças, porém é algo grandioso e engraçado, claro. Antes dessa viagem, eu não conhecia muitos gringos, mas agora eu posso dizer que conheci Canadense, Coreano, Japonês, Italiano, Suíço, Mexicano, Colombiano, Árabe, Alemão, Taiwanês, Chileno e Brasileiro. É brasileiro também! Afinal, brasileiros também são diferentes.

Conheci muitos lugares maravilhosos, fiz coisas nunca realizadas antes, tive muitos momentos de aventuras e passei muito frio! haha Mas, tudo isso foi o que eu melhor vivi em Vancouver…foi uma experiência pra sempre recordar.

Meu primeiro dia foi completamente “um patinho fora d’água”. Não sabia pra onde ir, como ir e nem falar (afinal, o meu inglês estava bem enferrujado). Depois de algumas semanas eu é quem dava instruções de como chegar em tal lugar. É assim que se aprender.

Falando em inglês, isso foi uma bela evolução. Cheguei aqui com a “mente inglês” completamente paralisada. Eram tantos anos sem falar que foi praticamente um tratamento de choque. Foi difícil acostumar com os sons novamente, mas depois de uma semana, coisas que eu já nem “sabia que eu sabia” simplesmente surgiam na ponta da língua.

Na escola, há diferentes níveis como Básico 1 2 e 3, Intermediário 1 2 3 e 4, e o Avançado 1 2 e 3. O meu nível inicial foi o Intermediário 1 e ontem, no fim do curso, eu fechei como Intermediário 4. Aparentemente pouca coisa, mas eu estou feliz com o desempenho, foi uma grande evolução comparado com as aulas que eu realizei.

20130426_150009

Ah, sobre as aulas…bem aproveitadas. As educacionais como listening, pronunciation, grammar eram um pouquinho chatas, mas boas pra aprender. Já as “funny class” foram ótima pra mim, pois eu tive a chance de realizar alguns projetos. O último dele foi o filme que ajudei a produzir. O nome do curta-metragem é Zombopocalypse. O gênero é uma comédia dramática. Pra quem quiser assistir, aqui está:

 

E, pra finalizar, só agradecer a quem mais me ajudou aqui, Tony e Shirley. Foram eles que me ajudaram quando eu cai perdida no Canadá, ajudaram em casa com o conforto, privacidade e conversas, com as maravilhosas comidas que muitas vezes eram parecidas com a brasileira. Enfim, foram tantos momentos  que a gratidão por eles é muito grande. Com certeza, Tony e Shirley estarão nas minhas melhores lembranças dessa viagem.

IMG_9899

IMG_9900

IMG_9901

Bom, é isso. Agora, próxima parada Montreal.

Foi bom enquanto durou. Thank you, Vancouver!